Rejeitada, prefeita Valéria do Manin é impedida de realizar comício em Araioses

Manin Leal e a filha Valéria, prefeita de Araioses
Manin Leal e a filha Valéria, prefeita de Araioses

Manin Leal, pai da prefeita de Araioses pagou um mico enorme quando foi impedido pelo povo da Ilha das Canárias de realizar um comício pela reeleição da filha naquela comunidade na semana passada.

A equipe dele primeiramente tentou montar o palanque em uma quadra do lugar mas foi impedida pelo povo que disse: “aqui vocês não vão realizar comício”.

De lá levaram as tralhas para a pracinha que fica em frente à igreja local – construída pela própria população – e mais uma vez foram barrados.

Um habitante de Canárias que conhece muito bem a natureza de sua gente, já temendo que algo de grave e até trágico ocorresse foi quem convenceu o Manin a retornar para Araioses sem realizar o comício, ao lhe dizer que isso seria a melhor coisa a fazer, pois do contrário o povo revoltado botasse-os para voltar a nado para casa.

Além de Canárias, outras comunidades não receberam a comitiva do pai da prefeita de bom grado, onde tiveram de cancelar os eventos políticos que pretendiam realizar, como num povoado da região do Rio Magu.

Na cidade de Araioses também tentaram fazer carreatas, mas devido às vaias que receberam ficou apenas na primeira e não foram mais a frente.

A rejeição da candidata Valéria do Manin é elevadíssima na cidade.

Do Blog do Daby Santos

Luis Fernando realiza carreata histórica em São José de Ribamar

Carreata da vitória em Ribamar...
Carreata da vitória em Ribamar…

Na reta final da campanha, o candidato da coligação “Aliança Democrática Ribamarense”, Luis Fernando Silva (PMDB), realizou no último domingo a maior carreata já vista no município, em período de campanha, com cerca de 700 carros.

Mesmo sendo o único candidato a prefeito de São José de Ribamar com registro deferido pela Justiça Eleitoral, por não ter contas rejeitadas e por não ter condenações nas instâncias dos poderes judiciários, tanto federal quanto estadual, Luis Fernando segue fazendo uma campanha vibrante, propositiva e responsável.

E na carreata deste domingo, ficou provado o carinho dos ribamarenses pelo tucano. Por onde passou foi saudado pelos moradores que saíram das suas casas para acenar para Luis Fernando e demonstrar total apoio à sua candidatura.

“Muito mais do que um reconhecimento por tudo que já fiz por São José de Ribamar, não somente como prefeito, mas por meio de outros cargos públicos que ocupei na minha vida pública, esse carinho é uma demonstração de amor e de cumplicidade do nosso povo com o meu trabalho em favor da cidade”, declarou Luis Fernando.

Luis Fernando disse ainda que a campanha que tem feito nesta eleição é uma prova de respeito ao povo e ao seu grupo político. “Estamos apresentando as nossas propostas de governo, que podem ser sintetizadas pelo sentimento latente de reconstrução da cidade, mas também estamos dando uma força, em todos os atos de campanha, para os candidatos a vereador das nossas coligações aliadas, pois vamos precisar muito da Câmara para, mais uma vez, transformarmos a realidade de São José de Ribamar”, ressaltou.

Luis Fernando, aclamado pela população ribamarense
Luis Fernando, aclamado pela população ribamarense

Durante a semana, Luis Fernando visitou mais 16 bairros, sempre caminhado pelas ruas dessas localidades e conversando diretamente com o cidadão. Foram visitados pelo tucano os bairros J. Lima, Sarney Filho II, Turiuba, Pindaí, Vila Dr. José Silva, Iraque, Rio São João, Sarnambi, Moropóia, Boa Vista, Parque Florêncio, Miritiua, Tijupá Queimado, Alonso Costa, Vila Kiola e Parque Vitória.

Nesta semana, na terça e quarta-feira, Luis Fernando vai visitar ruas de bairros na sede do município, realizará ainda o último comício na quinta-feira (29) e encerrará a campanha com uma grande caminhada também na sede de São José de Ribamar.

Choque, Geop e Seap põem ordem na Penitenciária de Pedrinhas

O Complexo Penitenciário de São Luís está funcionando normalmente
O Complexo Penitenciário de São Luís está funcionando normalmente

Diante do princípio de motim, registrado em uma das unidades do Complexo Penitenciário de São Luís, o Governo do Estado intensificou a segurança interna prisional e destacou mais de 300 agentes de segurança prisional, além de policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar. O contingente tem realizado ações ostensivas, com intuito de manter a ordem e disciplina nos estabelecimentos carcerários.

Para reforçar ainda mais o controle nas unidades, agentes penitenciários e auxiliares que estavam de folga foram chamados para ocupar postos de segurança. O secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Murilo Andrade de Oliveira, esteve pessoalmente no complexo prisional durante este domingo (25).

“O Complexo Penitenciário de São Luís está funcionando normalmente, ou seja, está tudo sob controle das forças de segurança prisional/pública. O Geop, assim como o BP Choque, estão em alerta nas unidades para que, caso ocorra algum imprevisto, as devidas medidas de segurança sejam efetivadas de prontidão”, pontuou o secretário.

Além da cobertura de 18 homens do Batalhão de Choque e mais 15 integrantes do Geop, garantem a segurança interna prisional nas unidades que compõem o complexo: 33 agentes da Supervisão de Segurança Interna (SSI) da Seap; 100 agentes penitenciários efetivos; 30 agentes penitenciários em estágio; 130 auxiliares penitenciários; e 20 agentes exclusivos nas guaritas.

A Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) São Luís 6, por exemplo, está funcionando como uma espécie de QG (Quartel General) do BP Choque. “Todo o efetivo do BP Choque está na UPR SL 6 e, caso seja acionado, imediatamente o grupo se deslocará para a unidade que solicitou a intervenção”, explicou o superintendente de Segurança Prisional da Seap, Ricardo Delmar.

Já o efetivo do sistema prisional está fazendo rondas rotineiras nos pavilhões das unidades. Para dinamizar os procedimentos de segurança, o Geop se dividiu e, enquanto um grupo realiza ações em um estabelecimento, o outro já autua numa outra unidade do complexo. A proposta, segundo Delmar, é potencializar as ações de segurança.

Mais um ex-ministro de Lula, Antonio Palocci e assessores vão pra cadeia

Ex-ministro, Antonio Palocci
Ex-ministro, Antonio Palocci

O ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci foi preso na manhã desta segunda-feira por policiais federais que cumprem mandados de prisão pela 35ª fase da Operação Lava-Jato, batizada de “Omertà”. A prisão de Palocci aconteceu em São Paulo.

Outros dois assessores de Palocci também tiveram suas prisões temporárias confirmadas. São eles Juscelino Dourado, ex-chefe de gabinete do então ministro da Fazenda, e Branislav Kontic.

Palocci é mais um dos ex-ministros do governos Lula e Dilma a ser preso pelos agentes na operação. Na semana passada, Guido Mantega foi detido na 34ª fase da Lava-Jato, batizada de Arquivo X. O ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma foi solto no mesmo dia, algumas horas depois, por meio de uma decisão de ofício do juiz Sérgio Moro.

Palocci foi ministro da Fazenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministro da Casa Civil na gestão de Dilma. Era um dos coordenadores da campanha do PT à Presidência e mantinha um escritório de consultorias.

Foram expedidos 45 mandados judiciais, sendo 27 de busca e apreensão, três de prisão temporária e 15 de condução coercitiva em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. Aproximadamente 180 policiais participam da operação.

A atual fase investiga indícios de uma relação criminosa entre Palocci com o comando da principal empreiteira do país, a Odebrecht, de acordo com a Polícia Federal. Segundo a PF, o investigado principal teria atuado diretamente como intermediário do grupo político do qual faz parte, gerando benefícios “vultosos” em valores ilícitos.

Uma das linhas de investigação apura as tratativas entre o Grupo Odebrecht e o ex-ministro para a tentativa de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009 (que resultaria em imensos benefícios fiscais), aumento da linha de crédito junto ao BNDES para país africano com a qual a empresa tinha relações comerciais, além de interferência no procedimento licitatório da PETROBRAS para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré sal.

‘Italiano’ nas planilhas da Odebrecht

Outro núcleo da investigação apura pagamentos efetuados pelo chamado setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht para diversos beneficiários que estão sendo alvo de medidas de busca e condução coercitiva. Em planilhas do setor, que funcionava como uma “diretoria de propinas” da empresa, e em e-mails de Marcelo Odebrecht para executivos, Palocci era identificado com o codinome “italiano”.

Considerada uma das mais contundentes provas sobre o pagamento de propina a gentes políticos pela empreiteira, uma tabela nomeada “posição-italiano” foi encontrada na caixa de e-mail do ex-diretor da Odebrecht, Fernando Migliaccio no curso da Lava-Jato.

O documento traz um balanço de como foram repassados, entre 2008 e 2012, cerca de R$ 200 milhões a projetos como as eleições municipais de 2008, a disputa presidencial em El Salvador e valores pagos a JD, que a PF acredita ser Dirceu, e a João Santana.

A planilha termina indicando haver, em 2012, um saldo de R$ 79 milhões. A curto prazo, R$ 6 milhões estariam comprometidos com “Itália” – referência a Palocci – e R$ 23 milhões com o “amigo”, não identificado na tabela. Os demais R$ 50 milhões iriam para o “pós-Itália”.

Em depoimento de tentativa de delação premiada não consumada, realizado em abril deste ano, a mulher do marqueteiro do PT, Monica Moura, contou à Lava-jato quem era o “italiano” da tabela encontrada pela PF.

Na época, Palocci alegou não ter “qualquer relação com a tabela” de Migliaccio. Em nota divulgada na ocasião, o petista disse ver “com muita estranheza que seja atribuído a si o codinome ‘italiano’, já que este apelido foi vinculado a várias outras pessoas em materiais apreendidos pela PF”.

Máfia Italiana

Segundo a Polícia Federal, a nova fase da Lava-Jato foi batizada como “Omertà” por dois motivos. O primeiro seria uma referência à origem italiana do codinome usado pela Odebrecht para designar Antonio Palocci(“italiano”). De origem napolitana, a palavra “omertà” define o código de honra de organizações mafiosas do sul da Itália. Ao escolher o nome, a PF faz referência ao que seria um “voto de silêncio que imperava no Grupo Odebrecht”, remetendo à “postura atual do comando da empresa que se mostra relutante em assumir e descrever os crimes praticados”.

O Globo

Campanha da BAIXARIA em reta final…

screenshot-2016-09-26-at-00-11-36No próximo domingo, dia 2 de outubro, eleitores de todo o Maranhão vão às urnas para votarem no primeiro turno do pleito municipal e escolherem os 217 prefeitos que vão comandar cidades durante os próximos quatro anos.

Faltando menos de uma semana para a votação, o clima é acirrado e recheado de disse-me-disse – fuxicos, no popular. Nessa reta final, todo mundo é ‘certinho’ e os adversários ‘monstros’.

Aliás, fala-se em campanha limpa desde os primórdios da democracia até os tempos atuais. Mas tudo nunca passou de uma quimera. Convencer um eleitor de forma ‘limpa’ é uma das mais deslavadas mentiras entre as milhares proferidas por aqueles que querem a todo custo chegar ao poder ou permanecer nele. Alguns, apenas, tem a pretensão de ‘pular’ para um cargo melhor e deixar o mandato ao qual foi escolhido para trás.

Quem não mente, omite. Quem acusa, não tem como se defender. Quem promete, nunca cumpre. Mas todos apontam os dedos para os outros como se fossem ‘perfeitos’ e fossem sanar os problemas da cidade que esperam comandar.

A fictícia ‘campanha limpa’ predominante em todo o Estado, não é diferente em São Luís, onde os principais candidatos que detém o maior número de votos – de acordo com pesquisas – estão mais preocupados com a vida política e pessoal do outro do que com a verdadeira vontade do povo que é ver a capital maranhense à frente de tantas outras que a deixou pra trás.

Os que tem propostas chegam a apresentar algumas um tanto ‘toscas’ e sem sentido. Os que não tem, por falta do que dizerem atacam as dos demais. E os que temem responder, se calam. Mas os eleitores de São Luís, agora tão ‘amada’, não são bobos. Prova disso é que os candidatos que se garantem como preferidos estão com os índices de rejeição cada vez maior fazendo com que aqueles com votação menos expressiva tenham voz e vez para mostrarem a que vieram.

Enquanto a BAIXARIA reina na disputa que mais parece um OSCAR, o eleitor observa atento e dará a resposta nas urnas. Vencerá talvez aquele que mentir melhor, afinal mesmo estando atento, o elenco dos palanques sabe interpretar muito bem seus personagens.

SIMPLES ASSIM

Após rebelião, visita é suspensa e mulheres de presos interditam BR 135

Mulheres dos detentos interditaram a BR 135 em Pedrinhas
Mulheres dos detentos interditaram a BR 135 em Pedrinhas

Depois do incêndio, quebra quebra e tumulto generalizado promovido por detentos da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) São Luís 6, antigo Centro de Detenção Provisória (CDP), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na tarde de ontem (24), o clima segue aparentemente ‘tranquilo’.

O trânsito já foi liberado
O trânsito já foi liberado

Porém, após a rebelião estourada, a visita foi suspensa neste domingo (25) e em protesto pela medida, mulheres e familiares dos apenados fizeram um protesto em frente à Penitenciária interditando durante horas a BR 135, em Pedrinhas, entrada de São Luís.

Policiais Militares e Rodoviários Federais foram acionados e permaneceram no local durante toda a tarde para evitar qualquer tumulto. O Choque também ficou em alerta para evitar que mais um motim tivesse princípio na unidade prisional.

No local, manifestantes já se dispersaram e nenhuma outra ocorrência foi registrada.

A visita foi suspensa neste domingo (25) e mulheres protestaram
A visita foi suspensa neste domingo (25) e mulheres protestaram

Eleições limpas

Flávio Dino, Governador do Maranhão
Flávio Dino, Governador do Maranhão

Por Flávio Dino

O respeito ao voto popular, manifestado em eleições livres e diretas, é essencial para que tenhamos um Estado Democrático. O princípio fundador da democracia moderna pode ser resumido pela máxima “cada homem, um voto”, lapidada por John Locke. O pensador inglês vivia num mundo em que a vontade do rei valia mais que a de qualquer cidadão. Em contraposição, defendia um sistema decisório em que a opinião de cada um dos cidadãos teria peso igual. Aqui no Maranhão, até bem pouco atrás, vivíamos realidade semelhante à enfrentada por Locke. Um domínio pré-republicano em que duas ou três famílias consideravam-se donas de todo um estado, em um sistema de nítidas marcas oligárquicas.

O povo soube manifestar sua vontade e libertar-se dessas correntes que nos condenavam ao atraso, expresso nos piores índices sociais do país. Desde o primeiro dia de governo, com firmeza, estamos trabalhando para virar essa página e construir uma democracia assentada na busca da igualdade de direitos. Os primeiros números que começam a aparecer, como os de grande melhoria no IDEB (Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico) da rede estadual, me dão a certeza de que estamos no caminho certo.

No próximo domingo, os maranhenses são chamados novamente a manifestar sua consciência por meio do voto, declarando nas urnas seus desejos para o futuro de nossas 217 cidades. É tempo pois de refletir, já que esta semana que se inicia vale por quatro anos. Tenho convicção sobre o valor sagrado da vontade popular autônoma, por isso, no meu governo, o poder do Palácio dos Leões não foi usado como plataforma de candidaturas. Mantivemos o espírito de um governo democrático, republicano, que não faz operações com dinheiro público para financiar qualquer candidato que seja, ao contrário do que foi regra por 50 anos em nosso estado. E continuamos a combater duramente a agiotagem, esse perverso sistema em que campanhas são financiadas em troca do futuro controle de parcelas da máquina pública.

Eu tenho estado nas ruas, sempre aos finais de semana ou à noite, mas como militante das boas ideias, prestando contas sobre nosso trabalho e levando minha palavra de solidariedade aos companheiros de luta, não importando se eles vão ganhar ou perder. Procuro ser leal a quem é leal comigo, e tenho certeza de que essa é a melhor conduta.

A diferença temporal entre a visão de Locke no século 17 e a construção que fazemos ainda nos dias de hoje no Maranhão mostra como a consolidação da democracia é uma luta diária e ainda longe de sua batalha final.

Finalizo com um convite a todos. Vamos lutar para que essas eleições, na reta final, sejam limpas. Cada cidadão maranhense pode ser um fiscal da cidadania que garantirá a realização de um pleito limpo e sem interferências ilegais, em cada um de nossos 217 municípios. Para isso, disponibilizamos um serviço para alertar as forças de segurança sobre qualquer suspeita de crime eleitoral. É o Disque Denúncia que funcionará pelos telefones 3223-5800, em São Luís, e pelo 0300 31 35 800 no interior. Você ainda pode fazer sua denúncia pelo site https://www.ssp.ma.gov.br/disquedenuncia/ ou pelo e-mail [email protected] Todas as denúncias serão apuradas, com garantia de absoluto sigilo aos denunciantes.

O voto é uma escolha sua e de mais ninguém. E no Maranhão de hoje não há mais lugar para donos, senhores, coronéis. Vamos continuar a construir um Maranhão de liberdade de opiniões e de consciências, em que o dinheiro de ninguém valha mais do que a vontade coletiva. Boas eleições!

Domingo violento em São Luís: tentativa de assalto a ônibus acaba em morte

O suspeito foi morto dentro do ônibus
O suspeito foi morto dentro do ônibus

O domingo (25) em São Luís começou violento. Nesta manhã um homem ainda não identificado foi morto a tiros dentro de um ônibus que fazia linha Cidade Olímpica/Ipase quando trafegava pelo bairro Alemanha.

A vítima teria tentado assaltar os passageiros quando foi surpreendida por disparos de arma. O corpo do suspeito foi removido pelo Instituto Médico Legal. Uma arma de fogo foi apreendida com a vítima.

Até o momento o Sindicato dos Rodoviários não se pronunciou sobre o ocorrido. A Polícia Militar esteve no local.

O suspeito foi morto a tiros dentro do coletivo
O suspeito foi morto a tiros dentro do coletivo

COROATÁ: Tereza Murad denuncia Flávio Dino por abuso de poder político

Teresa Murad, candidata à reeleição
Teresa Murad, candidata à reeleição

A prefeita de Coroatá e candidata a reeleição pela coligação ‘Coroatá com a Força de Todos’ , Teresa Murad, fez neste sábado (24) um comunicado oficial denunciando o governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B) de abuso de poder político. Veja abaixo:

Comunicado Oficial

Na condição de candidata a prefeitura do município de Coroatá, eu, Teresa Murad, venho a público fazer uma grave denúncia.

Está havendo uma intervenção do estado no município de Coroatá, razão pela qual anuncio que buscarei todas as medidas cabíveis para conter o abuso do poder político e a prática de conduta vedada do governador do estado em favor do seu candidato, Luis da Amovelar Filho.

Tudo isso visa apenas impedir o exercício livre de todos os atos de minha campanha em Coroatá, pois o município hoje encontra-se completamente sitiado por forças policiais.

Na cidade, que tem apenas um delegado, estão hoje 08 (oito) delegados da Polícia Civil. Além disso, foi deslocado um efetivo de centenas de oficiais da Polícia Militar que estão sob as ordens do secretário de segurança, presente em Coroatá, por delegação expressa do governador Flávio Dino, a mando do presidente do PC do B, Sebastião Araújo, e do ex-prefeito Luis da Amovelar.

O abuso de poder político e de autoridade é tão grande a ponto do candidato do governo transitar por toda a cidade em um veículo L-200 prata, acompanhando os delegados enviados.

Essa mesma força policial ostensiva tem sido usada para viabilizar a afronta à autonomia municipal, com a realização de obras eleitoreiras, sem a devida autorização municipal, na intenção única de fraudar as eleições comprometendo a igualdade entre os candidatos, pelo simples fato do meu opositor ter o apoio do governador Flávio Dino.

O clima é de medo e apreensão em plena campanha eleitoral. Estranha e fora da normalidade a presença do secretário de segurança do estado, juntamente com todo esse efetivo policial. Ou seja, instaurou-se um verdadeiro estado policial em Coroatá a mando de Flávio Dino, às vésperas das eleições.

Tudo em favor de seus aliados, com a única finalidade de quebrar a normalidade e legitimidade das eleições que se aproximam e contra quem, notoriamente, lhe faz oposição política.

Mas casos de semelhantes abusos de autoridade já foram condenados pela Justiça Eleitoral, a exemplo da cassação do governador do estado de Roraima e mais recentemente do governador do estado do Amazonas, ambos afastados pela utilização de efetivo da polícia de forma indevida em campanha eleitoral.

Diante de tais fatos, conclamo todos os candidatos a vereadores, cabos eleitorais e simpatizantes a fortalecerem a campanha e fiscalizarem todos os atos dos adversários para que não deixem que atitudes como esse abuso de autoridade, ordenado pelo governador Flávio Dino, comprometam a lisura da eleição.

Teresa Murad

Candidata da Coligação COROATÁ COM A FORÇA DE TODOS

Veja imagens dos presos quebrando tudo em Pedrinhas; não há mortos

Há informações de que a rebelião no Complexo Penitenciário de Pedrinhas que iniciou na tarde deste sábado (24) no antigo Centro de Detenção Provisória, atualmente UPR (Unidade Prisional de Ressocialização) teria sido controlada pela tropa de Choque da Polícia Militar.

Alguns presos foram feridos com balas de borrachas. Mas até o momento não há registro de óbitos no local.

Presos atingidos por balas de borrachas na rebelião
Presos atingidos por balas de borrachas na rebelião

Abaixo a nota da Secretaria de Administração Penitenciária (Sejap) sobre a rebelião.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que um princípio de motim foi deflagrado na tarde deste sábado (24), por internos da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) São Luís 6, antigo CDP.

Por razões a serem apuradas oficialmente, os detentos atearam fogo em alguns colchões, porém, a situação foi controlada pelas equipes de segurança prisional, com apoio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio da Policia Militar, sem registro de reféns, feridos ou mortos.

O Governo do Estado, que ao longo desses 20 meses de gestão conseguiu manter a ordem no ambiente carcerário, por meio de intenso investimento em segurança e ações de humanização, garante que vai apurar a causa do incidente dar continuidade às concretas mudanças reconhecidas no Sistema Penitenciário do Maranhão.